História

RIO SQUASH CLUBE – Sua Gestão e Nascimento.



No início de 1976, Martin Grey, um Australiano, e Peter Lane, Inglês, começaram a estudar a possibilidade de construir quadras de squash para fins comerciais no Rio de Janeiro.


Encontrando dificuldades, Martin juntou-se a alguns amigos e decidiu então lançar um projeto para a construção de um clube de squash.



Em 30 de agosto de 1977, em reunião realizada no Clube Americano e liderada por Martin Grey, compareceram os senhores Jas McAra, R. Huber, Vice-Presidente do City Bank, Dougie Woods, da Price Waterhouse, Patrick Packenham-Walsh, Sirlene Santos e Alister Reid.



Ficou decidido enviar uma carta circular aos executivos das principais empresas sediadas no RJ (a maioria multinacionais) e aos amigos e conhecidos do grupo, divulgando a idéia da formação de um clube de squash, seu tamanho, orçamento, número de títulos e a quantia a ser depositada pelos interessados (CR$ 1.000,00 / US$100,00).



Esta carta foi enviada em de 15 de setembro de 1977 e em 20 de outubro de 1977, já com 80 inscrições confirmadas (destas somente oito eram de Brasileiros e destes, quatro Anglo/Brasileiros), uma nova reunião foi marcada para o dia 29 de novembro com todos os inscritos.



Trinta pessoas compareceram a esta reunião no auditório do teatro da Escola Britânica, Botafogo, e decidiram, com a ajuda de uma pauta, alguns pontos importantes para a continuação desta empreitada. Um comitê de planejamento, composto pelos senhores Martin, Jas, Packenham-Walsh, Reid, R. Weekes, Tom Culley e John Hughes, foi formado a fim de encontrar um terreno adequado para o projeto em mente.



Todos os interessados receberam uma carta com a cópia da ata da reunião pedindo que se esforçassem para conseguirem mais pessoas interessadas neste projeto.



Em 27 de fevereiro de 1978, o Rio Squash Clube foi então oficialmente fundado durante uma assembléia geral no auditório da Escola Britânica e seus estatutos aprovados.



E os sócios Tom Culley e John Hughes foram eleitos Presidente e Vice-Presidente respectivamente.



Porém, ficou estabelecido que o comitê de planejamento continuaria responsável pela busca por uma propriedade e pelas decisões sobre a construção do clube. Também ficou estabelecido que o valor do título seria de Cr$10.000,00 (base 1.1.78 – US$620,00) e que o saldo de Cr$ 9.000,00 (Cr$1.000,00 já depositados antecipadamente) seria pago em 9 prestações com reajustes trimestrais baseados no valor do UPC (não esquecendo aqui a famosa inflação).



Depois de um anúncio colocado nos principais jornais do RJ, em 16.4.78 encontrou-se então o terreno do clube que foi comprado no início de junho no valor total de Cr$1.190.000,00 (US$66.800,00).



Em 6.6.78, foi enviada uma carta aos sócios comunicando esta compra, os detalhes do projeto de construção elaborado pelo comitê de planejamento e convocando todos para uma Assembléia Extraordinária no dia 19.6.78, para discussão destes assuntos.



Esta Assembléia foi realizada no Clube Suíço, próximo ao clube, dando oportunidade aos sócios visitarem o terreno. Nesta assembléia foram aprovados: o novo preço de venda dos títulos de Cr$12.000,00 à vista ou 14.000,00 (US$790,00) com entrada de CR$ 5.000 e o saldo pago em 6 prestações (nesta época, continuava a famosa inflação desenfreada); os projetos alternativos para a construção do clube (três ou até seis quadras dependendo das vendas dos títulos); taxa de transferência dos títulos; a venda de mais títulos (91 títulos já haviam sido subscritos) totalizando no máximo 300, considerando-se a construção de seis quadras; e os valores das prestações dos títulos já subscritos.



Em outubro de 1978 foram contratados os serviços de dois engenheiros, Fernando Oliveira e Richard Davidson para gerenciarem a construção do clube sob a supervisão do arquiteto Clovis Solter. Mas somente em março de 1979 o projeto (aprovado em reunião com os sócios em dezembro do ano anterior) foi aprovado pela prefeitura (apesar da demora, tivemos sorte uma vez que a assinatura da aprovação do prefeito foi no ultimo dia do seu mandato!).



E assim, em abril de 1979, iniciou-se a construção do clube com um projeto para 6 quadras.



As três primeiras quadras foram inauguradas em 11 de agosto de 1979 (sem vestiários e outras dependências). Nesta ocasião, durante uma reunião, ficou estabelecido que todos os sócios pagariam um valor adicional de Cr$10.000,00 (US$370,00) para cobrir as despesas de construção das demais dependências.



O clube contava então com 144 sócios e vários destes compraram mais de um título, dentre eles o Sr. Jas McAra que, sozinho, comprou 53 títulos (271 títulos foram então adquiridos), sendo que somente um título ficaria sujeito à taxa de manutenção.



Em dezembro de 1979 foi realizado um campeonato interno comemorativo à concessão do “habite-se” após a construção das outras três quadras e dos vestiários.



Nesta época, Tom Culley modou-se para São Paulo e John Hughes assumiu então a Presidência do clube, tendo a seu lado os senhores Robin Brown, Jas Mcara, Alister Reid, Carlos Diz e Grahaem Stephens, formando assim a primeira diretoria executiva do clube.




Em janeiro de 1981 foi disputado o primeiro campeonato interno do clube patrocinado pela empresa Águas Minalba e, em abril do mesmo ano, foi promovido por John Hughes & Jas McAra o II Campeonato Brasileiro.